quinta-feira, agosto 17, 2006


Enquanto te espero
planto as vinhas,
e nas cinco magrugadas
dos cinco dias em que semeio a seara,
ocultarei todas as estrelas
sobre a nossa cama.
No entremeio
cruzo os meus sonhos com as pessoas
que assomarem às janelas
e juntos inventaremos a nova rosa-dos-ventos:
a vinha, a noite, o templo,
a criança e a muralha,
a sede, o suor, a seara,
a Palavra.

Fernando Alves dos Santos (1928-92)
Diário Flagrante

2 comentários:

Joana disse...

Obrigada pelos teus comments. Já queria ter vindo aqui antes, mas o tempo escassiava. Agora que tive a oportunidade de te ler, vou voltar. Gostei muito!

Caucau disse...

É caso para dizer "quem espera sempre alcança"!! A perseverança é uma característica dos taurinos, por isso como diz o Jorge Palma, "enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar"!
Pedido:construam auto-estradas celestes...
Beijinho