segunda-feira, outubro 29, 2007

Turismo natureza e turismo familiar

Jardim Botânico: fundado por D João VI

Os cartões postais dão, entretanto, lugar a jantares com amigos e a oportunidade de provar as delícias mais típicas, num daqueles locais onde turista que é turista não vai, mas turista bem acompanhada por quem nasceu no local acaba por ser levada! Naquele dia, o meu preferido foi o pastel de frango com catupiry, mas o de chocolate com morango estava fazer cobiça aos deuses.

No dia seguinte retoma-se o turismo de turista, já depois de algum turismo familiar e gastronómico. Um belo apartamento, que se apresenta com vista para o Cristo que abraça a cidade, será testemunha de um novo lar. O almoço serve-se delicioso e fico a saber que os cariocas comem os bolinhos de bacalhau abertos ao meio e regados de azeite!

Ainda no mesmo dia, o turismo mantém-se essencialmente gastronómico: bobó de camarão! Caseiro! Receita de avó! As melhores, pois então! Com um apontamento lusitano nos sabores do queijo da Serra da Estrela. Esse levei eu!


3 comentários:

Ana disse...

Tens de fazer notas de rodapé! O que é catupiry?!

Tânia disse...

Não deves gostar! É queijo!

Zé "Prisas" Amaral disse...

Ah!, iguarias... quando sair daqui vou-me empanturrar.

Queijos de Niza e pão saloio, alentejano e de Mafra. Queijadas de Sintra, enchidos de Portalegre e Castelo Branco. Vinhos do Douro e Alentejo. Sarrabulho e cabrito no forno. Arroz de polvo em Sesimbre e muita caldeirada em Setúbal.

Bem... agora chega. Senão ainda perco o apetite para o jantar: hoje é puré de batata com almôndegas (bah)