sexta-feira, novembro 23, 2007

Com cariocas cá em casa... fala-se de "Brasiu"

As surpresas, as novidades, as novas experiências não terminavam. Neste dia, a diferença foi marcada por um Chá de Panela! Tradição brasileira que antecede o casamento. A noiva é recebida pelas suas amigas num lanche cheio de boa disposição. Não faltam os presentes que revelam quão antiga é a tradição: os utensílios domésticos! Aqueles que a noiva não adivinha dão lugar a fantasias na própria: plumas, pinturas, véu (de papel higiénico) e grinalda (uma bandelete), como manda a tradição! Ficou a faltar a volta ao quarteirão, com a panela em punho e a colher de pau, para anunciar sonoramente o casamento na semana seguinte.

Ainda no mesmo dia conheci a Lagoa Rodrigo de Freitas, um excelente local para a prática de exercício físico. Sete quilómetros e meio de perímetro ajudaram a digerir o tanto consumido até então. Mas mais do que isso, na lagoa relaxa-se através da água, das árvores, das aves. A meio do caminho refrescamo-nos com uma água de côco.

Um dos bairros mais pitorescos do Rio de Janeiro é o de Santa Teresa. Rodeado de “comunidades”, Santa Teresa é um bairro que vai dar a qualquer lado da cidade. As ruas são íngremes e de paralelepípedos já gastos. O eléctrico sobe ao ponto mais alto do bairro, fazendo lembrar o 28, em Lisboa, que vai até à Sé. Mas estamos no Brasil e o sambinha de rua lembra-nos isso mesmo. Santa Teresa é um bairro alternativo, onde vivem artistas e o Ricardo e o Marcelo! Receberam-nos com um verdadeiro manjar. Sem palavras para descrever, espero jamais tirar da minha memória aquele almoço de camarão na moranga, acompanhado de puré de banana da terra e farofa de dendê. Havia também arroz, mas ignorei-o completamente. Sobremesa: petit gâteau de doce de leite, com gelado de tapioca!


Et voilá! Comemos como os deuses! Diria mesmo, que foi das melhores refeições que comi em toda a minha vida! A companhia estava maravilhosa, A banda sonora tocou entre Rodrigo Leão, Marisa Monte e outros artistas de mpb. O Pedro Henrique, gato da casa, fez as honras ronronando e dormindo, como qualquer gato mimalho!

No parque das ruínas de Santa Teresa podemos ver o Rio de Janeiro em 360º. Valeu a pena!

Este dia teve ainda um happy ending, na companhia dos simpáticos primos e, claro está, à volta da mesa! O jantar, pena estar sem vontade de comer, foi um rodízio de comida japonesa!

Definitivamente, uma herança de Portugal no Brasil, foi esta tradição de receber à mesa e com mesa farta!

1 comentário:

Isabel disse...

Oi Tania, acho que vou conseguir deixar ficar o meu comentário.
Gostei dos teus textos...emotivos, cheios de vida!
E para te agradecer o facto de me teres convidado a vir ao teu espaço virtual, deixo-te ficar umas palavras que penso que encaixam no que relatas da tua "redescoberta do Brasil", o autor Proust!
" The real voyage of discovery consists not in seeking new landscapes, but in having new eyes..."

XXX Isabel